Desvalorização da mulher

Em um mundo onde as palavras e frases como, machismo, empoderamento feminino, igualdade, independência, liberdade, meu corpo minhas regras, lugar de mulher é onde ela quiser, estão em alta e super na “moda”, a valorização da mulher está super em baixa e escassa. E sinceramente, isso não é culpa da sociedade “machista e opressora“, isso é nossa culpa, nós mulheres, que deixamos a visão distorcida chegar em nossos lares, que deixamos a mentira que mundo conta se tornar uma verdade em nossas vidas. É nossa culpa, em acreditarmos que a mulher não pode ser delicada, não pode se cuidar, não pode ser submissa ao seu marido. É nossa culpa, em acharmos que a mulher para ser bonita e aceita, precisa ser vulgar.

Hoje, estamos vendo uma busca incansável de um movimento chamado “feminismo”, em destruir a imagem que Deus criou da mulher, segundo o Seu coração, conforme o Seu padrão e Seu molde. Esse movimento tem dito que as mulheres podem ser “iguais” aos homens e que merecem os mesmos direitos. Sendo, que por uma visão lógica, se fossemos para ser iguais aos homens, Deus não precisaria gastar seu tempo criando HOMEM E MULHER. Era muito mais fácil ter criado apenas o homem, ou somente a mulher. Por essa simples razão, entendemos, que cada um tem o seu papel fundamental, que cada um tem o seu propósito. Não somos e nunca seremos iguais aos homens por inúmeros motivos, mas o principal, é que não fomos CRIADAS para isso. Toda criação foi projetada por seu criador com uma determinada função, se pegarmos essa criação e colocarmos para executar uma outra função, que não seja a sua, estaremos fracassando. E é exatamente isso que tem acontecido com as mulheres nos tempos atuais.

Uma vez ouvi uma declaração de uma adolescente que me chocou. Ela disse que seu maior sonho era ser uma mulher bem sucedida que não dependesse de homem nenhum. Essa mesma adolescente perdeu o sonho de menina que era de casar, de formar sua própria família. E depois disso, ouvi muitas outras declarações parecidas com essa. O que quero dizer com isso? Essa nova geração está corrompida e perderam o real propósito da mulher na sociedade, essa nova geração está recebendo muitas informações e ao mesmo tempo não têm nenhuma profundidade. Muitas das coisas que são ditas pelo movimento citado, são mentiras, foram conquistadas de outra forma, e esse movimento está acabando com a imagem da mulher. Poderia ficar aqui citando várias histórias, mas vou citar apenas uma. O feminismo diz que conquistou o direito da mulher de exercer o voto na política, sendo que a verdadeira história não é essa. Gostaria de te apresentar a professora Celina Guimarães, que foi a primeira mulher brasileira a exercer esse direito, quando o governador José Augusto Bezerra sancionou a lei de número 660, que estabelecia não haver mais a “distinção de sexo” no exercício eleitoral, isso ocorreu no dia 25 de outubro de 1927. Porém, o que ninguém conta, é que esse direito foi conquistado por intermédio do seu MARIDO, isso mesmo, “um homem machista” rsrs. Sendo que em outros lugares do mundo, já tinha acontecido bem antes. E para te chocar mais um pouco, o movimento feminista surgiu na metade da década de 1960, nos Estados Unidos. Ou seja, foi logo após muitas conquistas para as mulheres. Antes disso, tinham alguns grupos femininos, que buscavam formas das mulheres se envolverem na política. E sinceramente, eu gosto disso, de ver mulheres na política (nem todas, mas gosto), e não só eu gosto, como Deus gosta também. E diferente do que o movimento feminista diz, Deus não é machista, a Bíblia não é machista. Se você for ler a Bíblia, ela é recheada de mulheres que fizeram grandes coisas, que marcaram suas histórias, que mudaram suas gerações. E queria citar apenas uma, Débora, que foi uma profetisa, foi juíza de Israel, foi uma líder tão extraordinária, que os israelitas chegavam até ela para que decidisse as suas questões. E foi através dela que Israel derrotou seus inimigos e conseguiu viver em paz durante 40 anos. Mas antes disso, Débora era esposa, era casada com Lapidote, e exercia a sua função, mas tinha a cobertura do seu sacerdote, do seu marido para exercer a missão que Deus a confiou.

Concluindo, você pode sim ser uma mulher bem sucedida, esse não é o problema, pode ser advogada, médica, professora, dona de empresa, a profissão que desejar, mas sem deixar o mundo destruir a sua família. Não concordo com mulheres que trabalham o dia inteiro, que vivem para suas profissões e deixam a educação de seus filhos nas mãos de uma babá, da escola, dos amigos, da sociedade. É por causa disso, que nossas crianças estão sendo tão atacadas, é por causa disso, que muitos valores foram perdidos, é por causa disso, que seus filhos entram para o crime sem você perceber, é por causa disso que nossos jovens estão caminhando para um precipício em seu interior. Não fecho os meus olhos para os problemas que as mulheres enfrentam, não vou dizer que não existe machismo, não vou dizer que não existe abuso contra as mulheres. Isso tudo ainda é muito presente em nosso meio, porém, é a forma como agimos e reagimos a tudo isso que determinará o nosso valor. E de uma coisa eu tenho certeza, não é o feminismo que dita como eu devo ser, é a Bíblia que me diz isso. Mulher, você é delicada como uma princesa e forte como uma leoa, acorde, levante-se, como Débora, na sua geração e faça a sua história. Não deixe esse mal chegar na sua casa.

 

 

 

Texto: Monique Freitas

 

 

Anúncios

6 comentários em “Desvalorização da mulher

  1. Belo texto e belas palavras. Nossa sociedade tem transformado à história em distorção de valores, lesionando o verdadeiro empoderamento da mulher, à colocando em um patamar vulgar de deteriorizaçao.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Achei seu blog através de um texto super interessante da nossa pátria e decidi começar a acompanhar, primeiramente parabéns pelo blog você escreve muito bem, tem uma boa colocação de seus pensamentos. Concordo com alguns pontos de sua postagem, achei ela como ja disse bem escrita e super interessante. Porém como mulher, bem sucedida, com uma família, um filho e um marido não concordo em alguns pontos. Nós mulheres temos o direito de sermos o que quisermos sim! Se quisermos ser dona de casa, submissa, que cuida de sua família temos o direito de ser pela simples fato de escolhermos ser assim. Da mesma maneira que seu eu quiser ser chefe da minha família, trabalhar, sair aos fim de semana com amigos, dançar também tenho o direito. A luta não é pra ser como o homem, e sim para possuir os mesmos direitos sem julgamento. Quando um homem sai ao fim de semana pra beber com os amigos em nenhum momento é julgado, mas se a mulher faz isso ela é uma mãe ruim, que abandona os filhos para se divertir. Julgamos muito e esquecemos que tudo nessa vida depende de um contexto. Essa mesma mulher que saiu pra beber e dançar com as amigas no fim de semana passou o mês inteiro trabalhando e cuidando do ar e talvez ela mereça um descanso por isso, mereça se divertir e não ser julgada por estar dançando na balada enquanto os seus filhos estão dentro de casa com a avó ou o pai. Eu trabalhava a sete anos em uma empresa onde ganhei várias promoções por mérito do meu trabalho, modesta parte o faço muito bem. Eu com sete anos de empresa e com um cargo de comando, ganhava menos que homens com dois anos de empresa chefiados por mim, subordinados a mim. E homens que tinham o mesmo cargo de chefia que eu, com o mesmo tempo de trabalho na empresa, ganhavam praticamente o dobro do meu salário. Estou falando de cerca de quase 2 mil reais a mais, de uma pessoa que fazia o mesmo trabalho que eu. Agora eu pergunto novamente. Porque não posso ter o mesmo direito que eles? Porque sou mulher, pelo simples fato de ser mulher meu salário foi reduzido a metade de homens que possuem a mesma formação que eu, fazem o mesmo trabalho, e possuem o mesmo tempo de empresa. Sou mulher, me cuido, sou carinhosa com meu marido, tenho uma família, cuido do meu filho, trabalho fora, auxilio meu marido no sustento de minha casa, saio com meus amigos em um fim de semana ou outro, saio com meu marido, sou mulher e sou feminista e escolhi ser assim.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá Jessyane, seja muito bem vinda ao meu Blog, obrigada pela palavras. Achei super interessante seu ponto de vista, e em momento nenhum, eu disse que as mulheres não enfrentam problemas ainda hoje. Pelo contrário, ainda mencionei isso. O que eu não concordo é com um movimento que deturpa a imagem da mulher, e mulheres que fogem do seu papel, do seu desígnio, para aquilo em que foi criada. Nós mulheres, somos incríveis e podemos estar em qualquer lugar que quisermos, exatamente por isso, eu escolho ser uma mulher segundo o coração de Deus, que cuida do lar, do marido, mas que não deixo de influenciar o mundo a ser um pouco melhor. Ah! Eu, hoje, não trabalho mais para ninguém, tenho minha própria empresa, mas entendo que existam profissões que, talvez, as mulheres ainda não sejam reconhecidas, mas não será mostrando os seios na rua, enfiando crucifixo lá que vamos mudar isso, correto? Tudo em exagero se torna perigoso, e o feminismo, assim como o machismo, é um exagero. Enfim, espero que continue acompanhando o Blog e se quiser me adicione nas Redes sociais e podemos continuar nossa conversa.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s